Quinta-feira, 30 de Abril de 2015

Um pensamento meu

Queria compreender a razão do teu silêncio. Não queria manchar o teu espírito com as lágrimas que assassinam a minha alma a cada minuto que o teu silêncio me apunhala e dilacera o coração. Queria ouvir as palavras do silêncio e perceber o seu sentido antes que esse silêncio se torne eterno.

publicado por Ana Cristina Gomes às 09:45

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 29 de Abril de 2015

Um poema meu - Apaixonei-me pela noite

Apaixonei-me na noite da madrugada

No casaco que aperto

Para o frio não entrar

Na alma que se liberta

Na primavera que ainda se esconde

Atrás de uma estrela perdida no céu.

Passei a tratar a noite por tu

Quando lhe digo um olá

Ao passar por ela

Por senti-la sorrir para mim

Nas eternas recordações que deixa.

Amo a noite e a sua amiga madrugada

Porque me levam até ti

Ao teu corpo

Só nós

Dois corpos

Duas almas

Que se fundem

Na bênção de uma noite

Que esconde o nosso segredo.

Percorrer o silêncio das ruas

Na madrugada que aconchega o sono dos outros

Percorrer o caminho em bicos dos pés

Para não acordar o sonho de quem dorme

Com a lua na almofada.

A madrugada brilha no escuro

De quem despertou no dia que é a vida.

Na sombra da noite

Encontrei a luz ao encontrar-me em ti.

noite-4459.jpg

publicado por Ana Cristina Gomes às 15:44

link do post | comentar | favorito
|

Um pensamento meu

A verdadeira solidão é aquela que sentimos quando estamos com os outros, quando damos por nós a fingir estar, a simular um sorriso, quando sentimos o vazio em nós de só querer estar perto de alguém que não está ali.

publicado por Ana Cristina Gomes às 09:29

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 28 de Abril de 2015

Um pensamento meu

Se não vivermos a chamada lei da vida que outros criaram para o caminho que percorremos durante a nossa existência. Se não fizermos conforme o que os outros acham que é o certo, será que transformamos a vida em algo secundário por não seguirmos essa tão aclamada ordem da vida? Ou será que estamos simplesmente a viver a vida segundo a nossa vontade, algo que muitos têm medo de fazer? Viver a vida como queremos e não como os outros querem não é essa a lei da vida?!

publicado por Ana Cristina Gomes às 13:08

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 27 de Abril de 2015

Um pensamento meu

Cada que a vontade de falar contigo for mais forte que a razão. Cada vez que quiser partilhar o momento mais banal do dia e não o puder fazer, palavras serão escritas no papel da vida com o teu nome. Irei tornar a minha obra poética mais rica como todos esses pensamentos transformados em palavras pois és a melhor inspiração que uma aprendiz de poeta podia encontrar.

publicado por Ana Cristina Gomes às 14:43

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 26 de Abril de 2015

Um pensamento meu

Se na noite me deito com a tristeza em mim, e as lágrimas no silêncio do respirar não conseguem sair, foi porque secaram com um sorriso que não sei onde está. Mas a chuva que cai lá fora, bate à minha janela num olá de quem veio para regar a minha alma e poder voltar a chorar.

publicado por Ana Cristina Gomes às 11:44

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Sexta-feira, 24 de Abril de 2015

À procura de Alaska de John Green

Há muito que ouvia comentários sobre a escrita de John Green, que me faziam querer a descobrir a sua escrita. O que me era sussurrado ao ouvido despertou-me a curiosidade total nas palavras de John Green. Fui deixando passar o tempo, inclusive ainda não vi o filme A culpa é das estrelas, baseado no seu livro, mas espero vê-lo nos próximos dias. O tempo passou até não conseguir suportar mais a ânsia que me consumia. E assim que surgiu a primeira oportunidade, eis que À procura de Alaska chega às minhas mãos e a leitura começa.
Percebo que algures existirá um momento marcante na história, pois existe uma contagem decrescente até esse instante! Resta saber qual é! Envolvi-me logo no enredo, voltei a sentir-me uma jovem estudante de dezasseis anos que vai descobrindo a vida e as suas lições. Miles, uma das personagens principais é um jovem que parte para um novo colégio, numa nova aventura à procura da Grande Incógnita. Na sua nova realidade, Miles vai encontrar novos amigos como o coronel, a alcunha do seu colega de quarto, Chip e a tão “famosa” Alaska que dá título ao livro, bonita, esperta, divertida, sensual, rebelde, transtornada… e completamente fascinante, e que mesmo depois de fecharmos o livro não esqueceremos as suas vivências, medos e alegrias.
Poderia ser mais um relato de jovens estudantes num colégio, mas não é, este livro é muito mais que isso. É um livro onde sentimos a força da amizade em tantas situações, o amor que se descobre, a transgressão própria destas idades, mas a essência que encontramos nestas páginas é a busca de um sentido, o sentido das personagens, e o nosso sentido de vida.
Mas porque que se procura Alaska durante o livro? Porque Alaska perde-se da vida e a vida perde-se dela. No instante em mudamos de contagem decrescente para contagem crescente, esse momento de dor, altera Miles e os seus colegas, que na tragédia, descobre o valor e a dor de viver e amar de modo incondicional. Tudo muda! Nada mais será o mesmo com e sem Alaska! E quando a vida se perde de Alaska, os seus amigos tentam encontrar a resposta à sua pergunta, como sair do grande labirinto? Se encontram a resposta? Talvez.
Mas o importante é que nós, leitores, encontremos nestas palavras o nosso sentido, o nosso caminho, as nossas respostas que podem ser encontradas numa escrita simples, profunda, emocionante, mas que nos fascina e absorve.
Uma leitura que recomendo e um autor que começo a descobrir e que tenho a certeza que brevemente mais livros seus serão fotografia no meu olhar.

à procura de alaska.jpg

 

publicado por Ana Cristina Gomes às 23:24

link do post | comentar | favorito
|

Um pensamento meu

Cada segundo ao teu lado torna a minha alma mais rica, sentindo que a vida não existe em vão. Mesmo que amanhã esteja sozinha com a solidão no meu colo, fecharei os olhos e sentirei o aroma do teu abraço e recordarei os momentos em que a felicidade me beijou.

publicado por Ana Cristina Gomes às 22:21

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 21 de Abril de 2015

Um pensamento meu

Habituei-me a uma tristeza a morar no meu ser, a ser uma parte de mim. Um dia um sonho abraçou-me, tocou-me e disse-me estou aqui. Nesse dia não soube como reagir à alegria de sentir esse sonho realizado dentro da minha alma.

publicado por Ana Cristina Gomes às 12:32

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 20 de Abril de 2015

Um pensamento meu

Não esperes pelo sempre que pode nunca chegar. Aproveita o agora em que estás a tocar e esquece tudo o resto. Sente e respira essa magia que ninguém te poderá tirar, porque simplesmente estás a vivê-la e por isso será sempre tua, mesmo que o sempre que desejes nunca te toque.

publicado por Ana Cristina Gomes às 10:09

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. O teu sorriso

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. Nicholas Sparks "Só nós d...

. A frase mágica do dia

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

.tags

. todas as tags

.favorito

. Será pedir muito?

blogs SAPO

.subscrever feeds