Domingo, 31 de Maio de 2015

Dia de Banco Alimentar

Mais um fim-de-semana de Banco Alimentar, a minha quarta recolha (excluindo Missão Sorriso e ações do Banco de Voluntariado da Amadora), e mais uma vez o balanço que trago comigo é positivo. Ao longo destas recolhas que tenho feito, tenho-me cruzado com todo o tipo de sentimentos que as pessoas trazem dentro de si. Não nego que certas palavras já me sensibilizaram, quando pessoas que não podem contribuir pedem desculpa, como se estivessem a fazer algo de mal. Só pela atitude contribuem de forma simbólica para estas campanhas. Tomara tanta gente ter esse carácter em vez de olharem para os voluntários com ar de desprezo. O que vale que essas pessoas são cada vez mais uma minoria.
São tantas as histórias que vou guardando destas recolhas, como alguém que deixa chocolates como um pequeno mimo, porque os mimos também são precisos, ou pessoas que chegam ao pé dos voluntários com um cesto de compras cheio de produtos para doar. Pequenas grandes ações tão bonitas de viver. Hoje, tive como colega de distribuição de sacos, um menino de 8 anos. Que maravilha foi vê-lo dar os sacos todo entusiasmado. Além de terem a percepção que existem muitas pessoas que precisam de ajuda, quem é que resiste a um pedido de uma criança? Cada vez mais jovens nestas recolhas talvez seja um bom indicador das medidas a tomar no futuro quando forem eles os governantes. Esperemos que nunca percam este espírito de ajuda que se perde nos meandros da política.
A solidariedade torna-se cada vez mais parte de um dia de compras para muitos. Porque com a crise que se instalou, cada vez mais as pessoas perceberem como a vida e a sociedade é frágil, e o que é hoje não é amanhã, e a queda pode estar ao virar da esquina. Tornou-nos mais atentos para o outro, e como voluntária, sinto uma grande adesão a estas campanhas. No fim de cada recolha a recompensa de ter dedicado um pouco do meu tempo a ajudar a esboçar o sorriso numa outra pessoa que nem conheço, ou se calhar até conheço, dá-me uma leveza, que só quem é voluntário sabe sentir.
Venham mais recolhas e lá estarei!

BA_2.jpgBA_1.jpg

publicado por Ana Cristina Gomes às 20:24

link do post | comentar | favorito
|

Um pensamento meu

Trocava todo o tempo com os outros por uma ínfima fracção de tempo ao teu lado.

publicado por Ana Cristina Gomes às 07:37

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 30 de Maio de 2015

Um pensamento meu

Lá fora uma primavera que floresce no jardim da vida, mas na alma habita um inverno de saudade que ensombra o coração.

publicado por Ana Cristina Gomes às 08:14

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 28 de Maio de 2015

Um pensamento meu

Adormeci vezes sem conta com as lágrimas na minha face a embalar o sono que chegava. Essas lágrimas foram a borracha que apagou todos os sonhos acordados em que dormia até o sono se instalar.

publicado por Ana Cristina Gomes às 23:30

link do post | comentar | favorito (1)
|
Terça-feira, 26 de Maio de 2015

A Noiva Italiana de Nicky Pellegrino

Um romance que mistura tachos e tecidos, aromas e cores, sabores e desenhos num cozinhado lento e saboroso da história de uma família com raízes italianas, a viver em Londres. Uma mistura improvável, mas conseguida.
Conheçamos Pieta, a filha mais velha de Catherine e Beppi, que nunca compreendeu o porquê da zanga do pai com o vizinho italiano. Não sabe porque não pode entrar na loja desse italiano e falar com o filho dele. Essa dúvida sobre o que teria acontecido outrora sempre a perseguiu. Uma mágoa antiga que será revelada ao longo das páginas deste livro. Uma leitura leve por entre as iguarias italianas que nos fazem salivar só de visualizar os ingredientes a misturarem-se entre si numa sinfonia de sabores. Leitura leve mas envolvente, sobretudo a partir do momento em que Catherine recorda o passado tendo como cenário o vestido de noiva da sua outra filha, Addolorata. É nos adereços do vestido que uma longa história nos é trazida na sua memória. Quando Catherine e duas amigas viajaram à aventura para Roma, e onde conheceu Beppi. Onde se apaixonou e foi feliz. Onde nasceu a mágoa de Beppi, pela traição do seu grande amigo, na desonra da sua irmã. Um descrever de emoções, um reviver de sentimentos que não foram esquecidos. Uma história simples, mas escrita numa simplicidade que nos abraça e nos faz querer continuar a ler mais para saber o que aconteceu. E depois de reviver o passado, construir o futuro no presente onde as personagens se encontram. As quase pazes feitas. O rancor não desparecido, mas atenuado. A luta pelos objetivos. Ser feliz nas pequenas coisas. Voltar a viver como Beppi e Catherine nos dizem nas últimas palavras deste livro.
Uma leitura para uma esplanada acompanhada por um belo gelado italiano! E temos uma tarde perfeita! Leiam e sintam a leveza das palavras a agarrar-vos.

a noiva italiana.jpg

publicado por Ana Cristina Gomes às 22:53

link do post | comentar | favorito
|

Um pensamento meu

No mar que acorda vejo o meu reflexo refletido na luz matinal. As suas ondas trazem até mim o sonho do teu rosto, a sombra do teu abraço que é apenas uma miragem na saudade da onda que leva de volta o desenho da tua face.

publicado por Ana Cristina Gomes às 09:20

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 25 de Maio de 2015

Um pensamento meu

A forma mais sublime do amor é aquele que nos faz descobri quem nós realmente somos, de onde viemos e para onde queremos ir. A forma mais pura de amor é aquela que conduz os nossos passos e nos ajuda a descobrir o nosso caminho. Amar-te, mesmo que na distância do tempo, fez-me encontrar a minha essência nesta vida. Por isso jamais poderei esquecer como o amor é subtil nos seus jogos.

publicado por Ana Cristina Gomes às 09:38

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 22 de Maio de 2015

Um pensamento meu

Há passagens no nosso livro da vida que nos fazem mudar o rumo inicial da nossa escrita.

publicado por Ana Cristina Gomes às 13:38

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 21 de Maio de 2015

Um pensamento meu

Quando a tortura de estar longe de ti for demasiado intensa, fecho os olhos e deixo-me dormir, porque no descanso do sono, sei que as nossas almas se encontram. Nesse momento sinto-me abraçada por ti como se o teu corpo estivesse ali comigo. É a tua alma que me abraça. E a paz chega, e posso continuar o sonho na tranquilidade de um sorriso. Por isso não quero acordar e olhar o vazio que a tua alma deixa quando o dia chega e vai embora.

publicado por Ana Cristina Gomes às 12:24

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 20 de Maio de 2015

Um pensamento meu

Encontrei-te para me distraíres a descobrir o meu verdadeiro caminho.

publicado por Ana Cristina Gomes às 09:28

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. O teu sorriso

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. Nicholas Sparks "Só nós d...

. A frase mágica do dia

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

.tags

. todas as tags

.favorito

. Será pedir muito?

blogs SAPO

.subscrever feeds