Sexta-feira, 1 de Dezembro de 2017

Olá meu querido dezembro! Olá Natal!

E chegou o frio que arrepia a pele. Chegaste meu querido mês de dezembro! Chegas na orvalhada da noite e na neve que chegará para pintar as árvores deste teu mês de um branco angelical a relembrar os anjos do natal.

As camisolas saltam do armário abraçadas ao cachecol que aquece a alma. Gorros, luvas, acessórios para brincar na beleza deste frio. Tantos de nós que não gostam de ti, meu amigo dezembro. Frio, mau tempo, o tempo escuro. Mas em tudo há uma beleza escondida. O frio na sensação de um termómetro que marca graus assustadoramente baixos, e um sol que torna este frio tão apetecível. Ou o som da lareira a crepitar para nos aquecer. Momentos só teus, dezembro.

O mau tempo que acompanhado por um chocolate quente, uns biscoitos caseiros e um bom livram, enrolados na manta polar, tornam uma tarde de chuva deliciosamente deliciosa. E a escuridão da noite que se acomoda cedo em nós, traz doces olhares a descoberto. Obrigado meu dezembro por me deixares ser agraciada por tamanho sorriso nesses olhos.

Dezembro, também és sinónimo de Natal! O mês por excelência em que o carinho e amor deviam existir em excesso, um saudável excesso. O mês de embelezar a casa e ruas com as típicas decorações de Natal que enchem de cor e feitios o nosso coração.

As luzes que brilham à luz da lua no regresso a casa, para nos mostrar que mesmo na escuridão existe sempre uma luz para guiar os nossos passos.
A época natalícia, a época dos doces e docinhos, dos sonhos às rabanadas e o bolo-rei no centro da mesa da sala, enquanto o bacalhau e o peru perfumam a casa numa mistura de cheiros e sabores. A deliciosa comida que nos encanta e sem a qual, a existência de dezembro e do seu Natal não teriam sentido!
O mês da família, o mês do convívio, o mês da partilha de experiências e episódios que ocorreram ao longo do ano. Não levem a tecnologia para a mesa da consoada, mantenham o dezembro fiel à sua tradição natalícia. O contacto pessoal, as emoções da conversa são precisas para manter as palavras físicas vivas. E por favor, não pensem que só agora nos devemos preocupar com os outros, que devemos mostrar o nosso amor, carinho e preocupação. A solidariedade e o voluntariado existem nos restantes meses do ano, assim como os amigos e família que devemos mimar também nesse tempo todo e não enche-los de prendas apenas nesta altura. Digam não ao consumismo desenfreado a que se assiste neste mês e vivam o verdadeiro espírito natalício. É preciso tão pouco para ser feliz! Feliz daquele que descobre em si essa descoberta de como sorrir no Natal sem precisar das prendas materiais!
Olá Dezembro e obrigado por trazeres contigo a beleza do Natal!
Dezembro gosto muito de ti! Volta sempre!

20121130-231114.jpg

publicado por Ana Cristina Gomes às 20:21

link do post | comentar | favorito (1)
|
1 comentário:
De Maribel Maia a 1 de Dezembro de 2017 às 20:37
Por todas essas razões, Natal deveria ser prolongado por mais meses!

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Carlos Ruiz Zafón "O Labi...

. A frase mágica do dia

. Um poema meu : Procuro-te

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. Um pensamento meu

. A frase mágica do dia

.arquivos

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

.tags

. todas as tags

.favorito

. Será pedir muito?

blogs SAPO

.subscrever feeds