Terça-feira, 5 de Julho de 2016

Uma foto que diz adeus

Talvez estas sejam as últimas das muitas últimas palavras que te escrevo, porque as palavras nunca terminam numa história que o tempo não me diz se realmente começou. Olho para uma foto tua e apenas tua, um momento teu e da vida que é tua, e nunca será minha, nem nossa. Um momento no qual não estou desenhada, nem o futuro pintará o meu rosto nessa imagem. Percebo aquilo que sempre soube, sinto aquilo que nunca quis reconhecer e faço aquilo que sempre soube que teria de fazer. Voltar costas a um sentimento. Voltar as costas aos teus passos. Voltar as costas ao nada que sempre foste em mim no tudo que ambicionava que fosses.

Na foto à minha frente, aos poucos o teu rosto desfoca-se num amor que lentamente vai morrendo no silêncio em que deixaste a minha alma. Fugiste ou talvez nunca sequer tenhas chegado para partires. Talvez todos os momentos vividos tenham sido a ilusão de quem um dia ousou sonhar no sonho de um beijo.

Por isso, agora, na foto onde não estou, vejo-me a dizer-te adeus. Vejo a vida a acenar-me noutra foto ainda por tirar. Chorei nas outras tantas fotos onde não estive do tempo que não foi. Foram tantas as noites no embalo das lágrimas para adormecer na dor que me fazia companhia. Os meus olhos eram o mar de quem perdia a vontade de viver por a vida ser sem ti. Mas ao contrário do oceano, as minhas lágrimas secaram na dor que gelou dentro de mim. Hoje já não mais consigo chorar ao olhar para ti. Nem chorar, nem sorrir! Apenas a apatia da indiferença de quem deixou de acreditar na esperança que espreita no olhar de um desconhecido.

Este teu desenho silencioso não é mais que a cobardia do teu silêncio. O teu medo de viver no fingimento de um está tudo bem. Esse mesmo medo que marcaste no meu caminho ao correres desorientado em busca do nada e eu no nada da vida fiquei à espera que voltasses e pudéssemos tirar a foto juntos. Mas isso nunca aconteceu! Nem acontecerá enquanto a cobardia de tentares agarrar a oportunidade de ser feliz estiver colada nas tuas mãos.

Talvez seja este o momento de escrever estas palavras na foto onde estou a dizer-te adeus e que rasgo em pedaços, nos mesmos pedaços em que deixaste quando decidiste atirar o amor que sentia por ti para o lixo. Nesse dia morri para o amor. Nesse dia deixei a vida de lado. No momento em que senti a minha alma suja no abandono de quem se sente desprezada. Nesse instante da vida as palavras sumiram da minha voz e o meu rosto esfumou-se na brisa do vento.

Nesse dia tiramos uma foto juntos! A foto do adeus!

adeus.jpg

publicado por Ana Cristina Gomes às 23:05

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. Férias….Praia….Mar….e a p...

. A frase mágica do dia

. Um pensamento meu

. A frase mágica do dia

. A frase mágica do dia

. Julia Navarro "Dispara, e...

. Um pensamento meu

.arquivos

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

.tags

. todas as tags

.favorito

. Será pedir muito?

blogs SAPO

.subscrever feeds