Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O sopro mágico das palavras

O sopro mágico das palavras

A noite cai nos teus ombros!

A noite cai nos teus ombros. A luz no asfalto que risca o teu rosto de sombras luminosas. Até na escuridão essa tua energia brilha nessa intensidade que és. Quem disse que o silêncio não nos pode estremecer a alma? És terramoto de sentimentos mesmo sem palavras faladas.
Trago comigo o cansaço de me caminhar dentro de mim. Procurar sentidos é extenuante. Esta devoção na entrega de emoções precisa de repouso. Descanso-me tanto na dança dos teus olhos. Ficava ali até à eternidade terminar. Há uma tranquilidade violenta que a solidão traz nos teus braços.
A noite cai levemente nos teus ombros. A delicadeza imperceptível do universo de me tropeçar em ti. Como se me proíbisse de te deixar ir de mim. Nada é tão incerto como as certezas do universo. As respostas ansiadas que espero estrangulam os corpos desesperados. O abraço que sossega essa ansiedade não chegou com a noite. De ontem, nem chegará na noite de hoje ou da semana.
A noite cai nos teus ombros. Um dia a noite cairá nos nossos ombros. Avidamente juntos. Um dia, eu sei que sim. Poderemos ter outros corpos mas as saudades não estarão esquecidas. Ficarão guardadas na memória da alma.
A noite cai nos teus ombros. E é tão bonita a noite quando te beija. E quando beijas a noite, a noite fica hipnotizada em ti e não mais te larga. Às vezes só queria ser essa noite que cai nos teus ombros.

Imagem: Internet

86979743_10157149884118565_9176919203884564480_o.j