Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O sopro mágico das palavras

O sopro mágico das palavras

Ângelo Rodrigues e estes julgamentos de praça pública!

Cansada de correr estas redes sociais e ver julgamentos de praça pública, enojada de ler trocadilhos obscenos sobre este momento infeliz pelo qual o Ângelo Rodrigues está a passar.
Não, não sou daquelas fãs acérrimas dele. Que gritam histéricas ao vê-lo passar. Há muito que deixei de ver novelas, por isso não sigo o seu trabalho como ator. Mas esta situação não me passa ao lado. Toca-me profundamente no meu ser. Esta luta com o corpo. Contra o corpo. O às vezes desespero pelo corpo perfeito. A aceitação dos outros. A autoestima e confiança que um corpo bem feito transmite. A complexidade desta nossa mente. Uma luta tão interna que é despercebida aos outros.
Se ele é bonito? Sim é, e não é pouco!
Se precisava de injetar testosterona para ter aqueles músculos? Não, não precisava! Já é demasiado giro para fazer isso!
Se cometeu um erro? Sim. Mas quem somos nós para o julgar? Só ele sabe o porque de tal atitude. Se foi ego? Pode ser! Vaidade? Quem sabe. Ou a tentativa de conseguir o corpo perfeito? Muito possivelmente! O que o levou a tal, só ele saberá e ninguém tem o direito de o condenar.
Os olhares reprovadores dos outros porque “ai e tal não tens o abdómen definido” (esses mesmos que hoje o julgam em praça pública). Nem todos somos fortes para aceitar o corpo que temos. Só quem passou por algum momento na sua vida e que tenha lutado contra o corpo que tem, só quem lutou arduamente para se aceitar como é (aceitar a barriga, as estrias, a celulite, o vestir um 40 e não um 36), só quem alguma vez maltratou o corpo de que modo tenha sido. Só quem já viveu essa luta na alma e no sangue sabe como é fodida essa luta (desculpem a expressão mas é a verdade!). Uma luta tantas vezes inglória e tão propícia a erros crassos. Como este!
Se nós, anónimos desta vida, sofremos com a ditadura da imagem. O termos de ser perfeitos. Agora imaginem um rapaz que até é bonito, conhecido e que até faz novelas. Tantas vezes a pressão da necessidade desse corpo perfeito pesa-lhe nos ombros. Não, não o estou a defender. Ele não precisa é de recriminações, as sequelas dentro dele estão lá e são dele. Não são nossas. Não somos nada nem ninguém para criticar alguém assim desta maneira como se tem visto.
Ele precisa e todos nós precisamos de ser mais tolerantes. De nos apoiarmos. De nos aceitarmos como somos sem sentença desses outros. Nem todos conseguimos a conquista de dizermos “Isto sou eu! Eu sou assim!”.
Só quem passou por isto, só quem alguma vez teve esta luta com o corpo consegue compreender!
Espero sinceramente que o Ângelo Rodrigues recupere, que ignore estes enojados que criticam erros (como se nunca tivessem errado) e que nesta nova oportunidade que virá, seja bonito como realmente é sem precisar de artificialidades. Honestamente bonito.
Que este erro dele transformado numa escala quase galáctica seja uma lição para todos nós.

angelo-rodrigues-2.jpg