Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O sopro mágico das palavras

O sopro mágico das palavras

Antes de confinar

fabrizio-verrecchia-cukIbtQ5Hdk-unsplash.jpg

Preparamos mais um confinamento que chegará com o bater da meia-noite.
Não sei como será. Que medidas virão. As lojas fechadas. Os cafés vazios. As estradas com poucos carros. Os ginásios sem suor. O silêncio das filas.
Não sei se também irás confinar. Se os dias te levarão para casa. Longe da minha janela.
Se o sol do meio-dia irá ficar de coração partido pela tua ausência ou se os fins de tarde ficarão de emoções congeladas à tua espera.
Não sei como será o confinamento de inverno. Que sentimentos me trarão. Que palavras irei escrever de ti.
Agora é importante o hoje, no qual escrevo o teu brilho. De um olhar que pára antes de correr apressado. Aquele sol que era o teu rosto que me ofuscou os olhos. Ficaria ali parada a olhar os teus olhos nus cheios de amor. Não fechei os olhos porque queria trazer para este confinamento o teu rosto de raio de sol. Mal te consegui ver. A tua mão que talvez tenha dançado sem medo do frio. O meu sorriso escondido acenou-te à alma. Segundos que alimentam o dia. O mais simples é o mais importante.
Agora, escrevo e vejo tão nitidamente o diamante de ti que trago na memória para ser o meu alento de confinamento.
Só podias ser tu a pintar os dias do meu coração de arco-íris de amor.

Imagem : Internet