Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O sopro mágico das palavras

O sopro mágico das palavras

Este teu dia avó!

Hoje, aquele dia que te viu partir antes de tempo, quando voaste rumo a um paraíso. Hoje, dez anos depois desse dia tão triste, minha querida avó, não vou escrever tristezas ou lágrimas. Não vou publicar fotos de saudades. Não foi isso que ensinaste estes anos sem ti.
Por ti, fui buscar aquela foto daquela quinta que nunca se perderá nas memórias. Aquela criança que tantas vezes não fui, para voltar a ser. Fui buscar as tuas flores. As tuas árvores. O teu eterno castanheiro atrás de mim. Que sempre me irá resguardar das tempestades. Os animais com quem falo tal e qual como eram essas tuas conversas que me fazem gargalhar. O aroma dessa quinta que sempre será brisa em mim.
Fui buscar o sorriso desta foto para sorrir quando os raios de sol me tocarem o corpo. A tua luz que brilhará sempre. A estrela que és e ilumina o meu caminho. Aquele caminho que tenho feito nestes anos sem ti. Mas que estás por perto para não me perder daquilo que realmente sou.
Nesta década sem ti, sem o teu corpo aqui, mas com o teu espírito perto, vou escrever alegrias, escrever a gratidão pelas pessoas que me têm cruzado os passos. Vou escrever olhares luminosos. O despertar para a vida quando na noite me abanas o meu ser e me sinto tão tranquila por me ouvir. A paz interior que já vive dentro de mim.
Neste tempo sem ti vou escrever-te como aprendi a preciosidade de cada momento. Como é tão bom viver o agora. Como temos de amar o que realmente importa.
Como devemos ser felizes com aquilo que nos faz feliz. E isso minha querida avó, foi o melhor que me deixaste nesta década sem ti.
Por isso, hoje, irei sorrir como nesta foto. Por ti.

67657602_10156631285863565_6968863980001427456_n.j

3 comentários

Comentar post