Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O sopro mágico das palavras

O sopro mágico das palavras

#opinião# Katherine Neville "O Fogo"

Terminei “O Oito” surpreendida com a singularidade da história de transpor um jogo de xadrez para a vida real, em que as peças são as pessoas. Embora não sendo nada conhecedora da arte de jogar xadrez fiquei demasiado viciada no jogo das palavras nas jogadas das muitas páginas. Por esse motivo acho que as expectativas que coloquei em torno da sequela “O Fogo” foram demasiado elevadas. A filha de Cat e Solari num novo jogo. Parecia o curto resumo ideal para iniciar com entusiamo a nova leitura.

Nesta continuação, voltamos a ter dois momentos distintos no tempo:

Albânia – 1822 – Trinta anos depois de o xadrez de Montglane ter sido desenterrado pelas freiras de Montglane. É iminente a guerra da independência grega. Ali Paxá, o mais poderoso governante do Império Otomano encarrega a sua jovem filha Haidée de levar para fora do país a famosa Rainha Preta. Mas Haidée não estará só, Kauri será seu protetor e companheiro de missão. Perseguidos desde a Albânia, Haidée e Kauri, enfrentam grandes perigos. Viajam através do Marrocos, Roma e Grécia até o centro do tabuleiro de um misterioso jogo, em Bagdade, cujos segredos podem levá-los à morte.

Vamos aqui reencontrar um Charlot, filho de Mireille, já bem mais crescido. A evolução do seu dom traz momentos interessantes ao enredo. E mais tarde iremos perceber como faz parte do poderoso segredo do Xadrez. Aqui não conto para não estragar a surpresa.

Colorado, 2003 - Dez anos, Alexandra Solarin, sofreu difícil golpe. Durante uma competição de xadrez na Rússia, Alexander, seu pai foi morto de uma forma misteriosa e com um bilhete estranho. Depois desse momento não voltou mais a jogar.  

A sua mãe, Cat Velis, sempre preferiu o distanciamento físico e emocional, por isso Alexandra estranhou o seu repentino convite para uma inesperada festa de aniversário. Desloca-se ao refúgio ancestral da mãe e percebe que algo de muito grave se terá passado.

Trinta anos antes, Cat e Alexander acharam que tinham espalhado as peças do Xadrez por várias partes do mundo, enterrando assim o seu segredo e potencial poder.

Mas a Cat desapareceu, deixando uma série de pistas para Alexandra seguir……dando a entender que a mais poderosa peça voltou, sem se saber como, a aparecer…a Rainha Preta.

Vamos reencontrar momentos e personagens da anterior história como Nim e Lily Rad. Novas personagens como Vartan, um campeão de xadrez e que se irá envolver com Alexandra e serão peça chave para o, quem sabe, fim do jogo.

Pessoalmente, achei a história um pouco confusa e pouco consistente e em nada memorável. Uma semana depois de ter terminado o livro, enquanto recordo a história para escrever este texto, as memórias que ficam são ténues. Ao contrário do primeiro, livro do qual ainda me recordo de tantos pormenores. Embora seja muito interessante conhecerrmos o verdadeiro segredo do xadrez, o jogo real, das personagens é regalado para uma esfera inferior, o que poderia adensar mais a história se lhe fosse dado mais emoção e suspense. Gostaria de ter percebido melhor a que peça corresponde cada personagem, pois pouco ou nada foi vivido nesse ponto. Personagens demasiado secundárias, pouco activas e que pouco se envolvem com o leitor.

 

Um bom livro para quem adorou “O Oito” e fica com a curiosidade de ler a continuação da saga e perceber que segredo é esse, o Xadrez, pois fica com uma pista no final de “O Oito”. Poderia ser uma leitura absorvente mas não o é. No entanto, é uma leitura agradável. Mas não deixa saudades nem vontade de o voltar a ler! 

31901906_10155653071793565_7174260749299089408_n.j

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.