Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O sopro mágico das palavras

O sopro mágico das palavras

#opinião# Marcia Grade "A Princesa que acreditava em Contos de Fada"

Ainda estava eu a deslizar as minhas mãos pelo livro “O Cavaleiro da Armadura Enferrujada” e já um outro título me piscava o olho na contracapa de seu nome “A Princesa que acreditava em Contos de Fada”. Ainda estava eu a assimilar o que lia e aprendia com o Cavaleiro e já estava eu numa hora de almoço a comprar um dos últimos exemplares na livraria.

Foi deixar o Cavaleiro descansar em mim e já a Princesa se tornava parte dos meus dias.

Conhecemos a Princesa Vitória que sonha desde criança com o seu príncipe encantado que a via libertar da tirania dos seus severos e autoritários pais que não a deixam ser criança. Cresce e esconde a sua criança interior, Vicky, o seu lado feliz e reguila no seu armário. Porque há regras a cumprir, nada de danças malucas, nada de cantos sem treino e nada de gargalhadas. Ou seja, não pode ser quem realmente é. Por isso, torna-se uma mulher demasiado frágil. Até que conhece o seu príncipe, bonito, delicado. O perfeito príncipe encantado que supostamente a irá salvar. Mas, há sempre o mas. Esse príncipe é um homem com traumas, mal resolvido que vai chantagear psicologicamente a nossa princesa. Uma violência psicológica que fere. Que danifica a alma.

Quando decide que precisa do seu final feliz, a Princesa terá a companhia de um mocho e outras personagens que a ajudarão no seu caminho. Mas terá de percorrer as dificuldades sozinhas. Superar-se. Romper os medos. Acreditar em si e nas suas capacidades.

Um livro que nos diz que não é o outro que nos vai preencher. Que temos de nos preencher por nós mesmos. Só quando estivermos preenchidos connosco mesmos, o outro irá ser parte daquilo que nos preenche.

Um livro que nos diz que nada nem ninguém nos pode deitar abaixo, que não podemos dar o poder a ninguém de nos atirar para a lama.

Um livro que nos diz para nos ouvirmos. Para deixarmos a nossa voz interior falar connosco.

E seguirmos o nosso caminho.

Um livro que nos diz para acreditamos sempre em nós!

Um livro que nos diz que enquanto não nos amarmos a nós mesmos da maneira que somos, mais ninguém nos amará.

Sermos quem realmente quem somos sem que ninguém nos transforme naquilo que não somos!

Escrevo um pequeno excerto para vos deixar aquela vontade de ler este livro que recomendo!

 “Tal como o mar avança e recua, também nós avançamos e recuamos com a maré da vida (...) Nos braços da fraqueza está a força, ansiosa por se libertar. Na opressão da dor está o prazer, esperando apenas ser. E no caminho dos obstáculos está a oportunidade (...) A experiência nem sempre é a verdade, pois é colorida pelos olhos através dos quais é vista. É no silêncio da nossa mente que ouvimos a verdade (...) Cada novo momento é um banquete de possibilidades novas. (...) E tudo o que é, em breve será tudo o que foi.”

000.jpg