Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O sopro mágico das palavras

O sopro mágico das palavras

Olá meu setembro,

199368-Hello-September-Heart-Leaf-500x354.jpg

Chegaste, por entre um céu amanhecido em frias nuvens, setembro meu. Mesmo em tons discretos, a tua vinda não me passa despercebida. É o meu mês mais especial. O meu mês. O mês de pessoas especiais. Daquelas pessoas que me vivem na alma. Que me respiram os sentidos. Que me ensinam. Que me fazem crescer como ser humano recuperando a minha centelha divina.
Setembro meu que me viste nascer. Ainda feito de dias quentes. Para que nunca me falte o calor da vida em mim. O ainda verão que nos palpita no coração. Os dias que nos iluminam as emoções. És vida.
Setembro, tantas vezes, és o fim das férias, dessas rotinas boas das férias, o verão que se transforma em outono, os dias que diminuem, o descanso que deixa saudades. Mas não és um mês de despedidas, és uma espécie de mês de reinícios, o regresso ao trabalho ou à escola. Novos planos e objetivos. Novos sonhos e esperanças. Por isso tantas agendas iniciam neste mês teu. O recomeçar. Para mim, todos os anos és o meu novo recomeçar. O meu sol que volta a estar na posição que me viu nascer e que me traz novos desafios. Setembro é o meu nascer constante a cada ano que passa. Recomeço-me no teu chegar.
Além de seres o mês meu, querido setembro, és mês de pessoas especiais. Daquelas minhas pessoas extraordinariamente especiais. Que jamais serão apagadas da essência que sou.
És e sempre serás o mês da avó minha que me deixou a tua herança nas minhas veias. Uma sintonia inquebrável de almas. Gostava de te ter aqui de tantas perguntas que tenho em mim para te fazer. Mas vou aprendendo contigo a conversar e ouvir o universo como o fazias no sol escaldante ou na noite estrelada. Segredos que só nós compreendemos.
Oh meu distinto setembro, és o mês de pessoas únicas. Pessoas que são amor. Aconchego de tranquilidade. Aquelas que me têm renascido a vida que está dentro de mim. Trazes a doçura mel-outono nos olhos de quem nasceu nas horas tuas. A melodia do teu silêncio nas conversas que me ensinam a ser quem sou. Que me obrigam a sonhar os meus sonhos. A não desistir de mim. A nossa ligação de reencontro de almas. O setembro nosso.
Setembro querido que me tens feito tropeçar em pessoas tuas. Que nasceram nos teus dias. Que tanto são para mim. Que prendas boas essas tuas para mim. Continua com presentes assim neste mês meu. Pessoas que me ajudam a crescer profissionalmente. Pessoas que me ajudam a decifrar o meu caminho. Pessoas cujos conselhos são ouro para mim. Que me ajudam a ser mais forte.
Não há mês que ame mais, meu doce e amado setembro. Sou tão tua. És tão meu. Desde sempre e para sempre!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.