Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O sopro mágico das palavras

O sopro mágico das palavras

Um amor e uma eterna dor

O que fizeram as nossas almas uma à outra para agora quando nos cruzamos sentirmos esta devastação dentro de nós? Cada um no silêncio do seu recanto a contorcer-se num abismo que nos consome. Um enredar frequente com o precipício.
O que será que outras vidas nos fizeram para olharmos um para o outro e nos sentirmos totalmente destruídos? Desamparados no meio dos destroços das emoções. Um desmoronar constante de quem somos.
O que nos terá feito doer tanto para essa dor ainda estar dentro de nós? Ver-te faz doer-me. Faz doer-te ver-me. Doí-nos a tristeza.
Que lágrimas são estas que não secam e que choram no nosso coração? Ouço as tuas lágrimas no meu coração. As minhas lágrimas tão perto do teu rosto.
Que tempo foi esse que ainda é para nunca me ter esquecido de ti e mal te vi pela primeira vez soube quem eras? O passado acenou-me. E lembrei-me de tudo o que foste.
Que amor terá sido esse para agora sentir este amor sem sentido? Um amor sem rumo, sem final. O meu fim.
Que destino é este que não nos deixa abraçar para nos perdoamos e perdoar o destino por nos ter separado? Para finalmente podermos olhar-nos na tranquilidade de uma paz que já não sabemos o que é. Confortarmo-nos.
A minha alma. A tua alma. A nossa alma. A nossa história. Um amor e uma eterna dor.

Foto : Internet

henri-pham-446895-unsplash.jpg